Textos


Para que serve o Sindicato dos Taxistas do RJ? Confesso, estou há 2 anos estudando e publicando sobre a luta dos taxistas, mas ainda olho para o Sindicato como quem olha para uma vitrine vazia. O que chega ao meu conhecimento, vem pelos inúmeros desabafos e frustrações de um grande número de motoristas. Apesar de já ter escrito artigos de repercussão, nunca fui convidado ou contatado por nenhum representante autorizado do Sindicato. Inclusive, modéstia à parte, eu poderia ter um papel relevante na comunicação entre o Sindicato e boa parte dos taxistas. Por sinal, o diálogo do Sindicato com a classe é quase nulo. Atualmente, o que muitos taxistas expressam é que, além do descontentamento generalizado, o Sindicato se tornou motivo de desavença entre setores representativos da classe.

Quantos cidadãos da atual composição do Sindicato é taxista atuante? Quantos vivenciam o dia a dia da rotina do asfalto? Vejo alguns representantes vestidos em ternos bonitos, de plantão em gabinetes de políticos, sentados com o Pezão, na porta do prefeito e fazendo selfie em Brasília. Porém, quantos desses representantes padecem à rotina diária pelas ruas inseguras e famintas do Rio? É a primeira pergunta que me ocorre. Por tudo que ouço, me parece que há um imenso abismo de legitimidade e de ações que alcancem o conhecimento e a aprovação da massa da categoria. O taxista, de forma geral, não acredita, não participa e desconhece a função do Sindicato.

Com a chegada dos aplicativos e o agravamento da crise, a primeira proposta deveria ter sido a convocação de novas eleições, erguendo nomes que contassem com o apoio da maioria dos grupos fragmentados que empenham iniciativas para garantir a sobrevivência dos taxistas. O Sindicato, mais do que nunca, precisa ser um polo de união para uma categoria rachada em diversos projetos políticos. Sim, a articulação política é crucial, mas o Sindicato não pode mais funcionar como trampolim para projetos pessoais, precisa ser um aparelho político em prol do coletivo. O mais sensato seria eleições já. De qualquer forma, não resolveria realizar uma eleição para meia dúzia de compadres, ela tem que ser ampla, fartamente divulgada, abrindo condições para que trabalhadores de todas as células possam votar e compreender a transparência do processo. Qual o receio de legitimar o Sindicato?

A pedidos de muitos taxistas, nas dezenas de mensagens diárias que recebo, decidi entender o que é o Sindicato dos Taxistas do RJ. Mais do que isso, convoco todos os taxistas que me acompanham para que a atual composição do Sindicato convoque novas eleições o mais rápido possível. Os tempos são outros, homens e mulheres estão buscando sobreviver com muita dificuldade e o Sindicato precisa refletir a voz deles. Entendo que todos nós temos boas intenções, vamos mostrar nossa melhor face: MUDA SINDICATO. 
Alexandre Coslei
Enviado por Alexandre Coslei em 21/08/2017


Comentários