Textos

Não sente mais o pulsar dos venais.
O peito arde, queimando ideais.
Apaga a frase vil: peace and love.
O coração é tocha, molotov.
 
Inflama máquinas irracionais,
Não! Animais, escravos, nunca mais.
O senhor olha, mas não se comove.
Da altiva ganância, nada o demove.
 
Trabalhadores do mundo, uni-vos.
Pedras e paus contra abutres em marcha.
As bestas avançam, não há saída.
 
Pés sujos, descalços, subversivos.
O frio porrete vem para o racha
Na luta injusta que faz justa a vida.

 
Alexandre Coslei
Enviado por Alexandre Coslei em 30/04/2017


Comentários